Versão 3.0 - Time Break

Olhe na seção "Resumo de Tramas" para ficar por dentro de tudo o que acontece na Soul Society ou no Japão!
Corram Todos!




Versão 3.0 - Time Break


 
Portal BleachInícioCalendárioFAQBuscarRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 *~~Diário de uma vida conturbada > Apresentando, Evy Kakuichi~~*

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 

Votem crianças!! XD
Ótimo
100%
 100% [ 9 ]
Bom
0%
 0% [ 0 ]
Regular
0%
 0% [ 0 ]
Horrivel
0%
 0% [ 0 ]
Total dos votos : 9
 

AutorMensagem
Evy Kakuichi
Lendários
Lendários
avatar

Mensagens : 289
Data de inscrição : 29/08/2009

Sua Ficha de Personagem
Rank: S
Life Life:
300/300  (300/300)
Exp: Exp::
1000/1000  (1000/1000)

23102011
Mensagem*~~Diário de uma vida conturbada > Apresentando, Evy Kakuichi~~*


*Prefacio~

Como nossa vida pode mudar tão repentinamente? Um dia somos uma coisa, e no outro praticamente outra... Já se sentiram pressionados perante a vida? Sendo forçados a ser algo que não querem? Ou sentindo-se controlados pelo destino cruel e incerto? É a vida desta baixinha é cheia dessas perguntas. E para o conto de hoje, só precisamos entender que há uma mocinha indefesa, um monstro cruel e um herói maravilhoso. Meu nome é Pamela e eu to aqui para esclarecer alguns pontos críticos sobre a vida enérgica da minha personagem predileta, Evy Kakuichi.

Boa Leitura xD


**~~ Quando tudo começou ~~**


Desde pequena Evy já sabia que era diferente dos outros da família, sempre foi como um imã para confusões. Seu alto poder espiritual sempre chamou atenção de seres ocultos aos olhos da sociedade humana, mas ela sabia lidar com isso muito bem, se divertia na verdade. Ao completar16 anos seu temperamento forte ganhava varias amizades facilmente. Evy sempre havia sido popular, apesar de sempre pensarem que era meio "doida" por às vezes encontrá-la tagarelando sozinha com o "nada", eles ainda gostavam de sua amizade franca e verdadeiramente alegre.

Certo dia Evy caminhava em uma praça que ficava próxima a sua casa. Lá era o ponto de encontro da sua turminha de escola, eles sempre se reunião pra fazer nada alem de bagunça. Naquela tarde Evy se sentia estranha, como se algo a estivesse perseguindo. Claro, que já era acostumada com os seres fantasmagóricos atrás dela, mas agora a sensação era diferente, lhe dava ate calafrios. Ela tentou não pensar muito nisso e foi de encontro aos amigos.

O tempo passou rápido e a noite chega calorenta no verão. Evy já voltava pra casa cantarolando uma musica animada, ainda extasiada das brincadeiras com os amigos. A lua forte daquela noite iluminava seu caminho, tudo estava tranqüilo ate que algo se mexe atrás de Evy. Ela se assusta e se vira para ver, afinal de contas tinha sentido uma presença maligna ali, era a mesma sensação de horas atrás, só que mais forte desta vez. Evy força a vista para ver melhor, mas não consegue ver nada.

-Tem alguém ai? -Pergunta por fim cansada de esperar. -Tem alguém ai?

De repente um rugido alto e forte inunda todo o quarteirão. Uma forte pressão toma o corpo de Evy paralisando-o. Uma criatura corpulenta que se apoiava em quatro patas pairava a sua frente. Ela nunca tinha visto tal criatura, mal conseguia distinguir se era real. A rua do quarteirão estava deserta naquele horário, Evy não sabia o que fazer, e nem sabia se conseguiria fazer, já que estranhamente o medo tomara conta de seu corpo.

"Meu Deus o-o o que é isso?" Se perguntava assustada.

A criatura era horrível e parecia ter fome de alguma coisa, Evy torcia para que não fosse fome de carne humana ou qualquer coisa do tipo. Ela chegou a pensar em "entidade biológica extraterrestre" e tentou uma comunicação.

-Érr... Vo-você entende a minha língua? O-o que é você? -Falava com a voz rouca e tremula.

-Você me parece deliciosa então não perderei meu tempo brincando com a comida. -Responde a criatura numa voz obscura e maligna.

-Na-nãoo, eu não sou comida... A-ai meu Deus me ajude, senhor! -Pedia. -Socorroooo... Socorroooo! Socorroooo... -Começava a gritar feito louca, implorando por piedade. -Por favor, não! Por favor!

A criatura se levanta se apoiando nas patas traseiras e num movimento rápido da uma forte bofetada com a pata dianteira da direita jogando Evy contra a parede da esquina. Ela bate com força e sente uma dor imensa, tinha fraturado duas costelas. Ela escorrega para o chão e fica ali imóvel cheia de dores. A criatura parecia gostar de vê-la ali sofrendo.

Evy levanta a cabeça lentamente com dificuldade respiratória, seus olhos se enchiam de lagrimas e a voz rouca tentava sucumbir alguma frase que pudesse fazer a tal criatura para com que estava fazendo.

-Por... favor... Não... me machu... que... –Dizia enquanto lagrimas rolavam de seus olhos incansavelmente.

-Isso não é por você... Eu desejo mais poder! Mais poder! Mais poder! Hahahaha...-Ria loucamente olhando para ela com brilho nos olhos. –Já estão me caçando por outras coisas que fiz, acha que a deixaria ir?

-Se é tão forte assim... Porque precisa de... –Evy não consegue terminar a frase que foi interrompida por novos soluços.

-Acabou pra você! –Grita uma voz, no mesmo momento Evy se encolhe no chão e sente algo batendo conta seu corpo novamente. Ela não sentia mais dor, o que havia acontecido? Perguntava-se mentalmente. Não havia mais nada apenas escuridão.

Lentamente seus olhos iam se abrindo, a dor cessando, o gosto, a vida. A rua da esquina estava escura, coberta pela escuridão. Uma sombra de uma criatura estava a sua frente olhando-a sorrindo. Em seu peito havia uma corrente presa que se ligava a um corpo estirado no chão. Ela demorou pra entender o que estava acontecendo, e demorou ainda mais para sacar que o corpo surrupiado, estirado no chão, era ela.

“Meu Deus... A-ali sou eu...” Pensava levando as mãos a boca com o choque.

A sombra da criatura começou a se aproximar dela ainda como o mesmo sorriso. E quando estava a menos de um metro de distancia da pequena garota algo passa por um de seus braços puxando-a para mais longe da criatura. Seus olhos não conseguiram ver o rosto do salvador. Algo acontecia ali, mas ela não conseguia entender.

-Seus crimes cessam aqui. –Disse uma nova voz, que transparecia tranqüilidade. A criatura da um rugido forte, aparentemente tentando assustar o herói.

-Hahahahaha... Não sem levá-la comigo! –Rapidamente a criatura pula a frente de Evy e quebra a corrente que ligava ao seu corpo. Instantaneamente a ponta da corrente onde havia sido quebrada começa a se corroer sozinha. Ela se assusta ao ver, mas ainda sim não entendia o que estava acontecendo.

-Não! –Grita o herói, ainda com a voz suave.

-Tarde demais Shi-ni-ga-mi! –Zomba a criatura entre dentes. –Hahahaha!

-Não sou um simples shinigami que você esta acostumado a enfrentar... Mas eu não preciso continuar falando. –Seus olhos se fecham e de repente ele esta com uma arma branca em mãos.

Evy já conseguia se levantar, se sustentar sozinha. Cambaleando ela anda ate seu corpo estirado no chão, seus olhos sem foco, sem vida lhe provavam o futuro perdido e inserto, a morte!

Um raio de gelo cobre os céus e atinge a criatura engolindo sua cabeça. A briga entre os seres era rápida e Evy não conseguia acompanhar com os olhos. Enfim, a luta termina e o herói prevalece. Mas o tempo não estava ajudando, a corrente de Evy estava se aproximando de seu peito com velocidade.

Um vento passa pelo seu rosto fazendo seus cabelos voarem e uma dor começava a inundar seu corpo, o “herói” se aproximou, ele era de estatura baixa, magro, de cabelos prateados e lindos olhos claros. Evy jamais tinha visto um jovem tão belo e diferente. Com a respiração meio ofegante, Evy pode sentir a mão do jovem em seu rosto.

-Já esta acabando, fique calma. –Tranqüilizava o herói.

-O que esta acontecendo? –Pergunta Evy tímida.

-Não há nada com que se preocupar você não vai virar um monstro...

-Monstro? –Evy para pensando por alguns instantes quando sente o jovem colocá-la em suas costas.

Ela estava sendo carregada a casa de um amigo do herói, alguém que ajudaria ela.

-Qual seu nome?-Pergunta curiosa.

-Hitsugaya Toushirou! Um dia quem sabe você vai entender... –O herói continuava a levá-la pelos telhados do grande Japão, o céu agora clareava com o brilho intenso do luar, Evy por mais que estivesse aflita e apreensiva sobre o final desta historia, ali com o seu herói os medos se extinguiam.

___________________________________________________Continuação


As estrelas brilhando forte no céu era a única visão da pequena ate tudo ficar embaraçado. Daquele momento em diante Evy literalmente apagou agarrada as costas do seu herói que continuou correndo contra o tempo. Quando voltou a acordar, o sol da tarde batia contra a janela e as cortinas brancas do quarto, havia se passado duas semanas e meia. Ela acordou de um salto sentando-se na cama e sentindo a cabeça girar, a visão embaraçada não reconhecia onde estava e muito menos o que havia acontecido para estar ali.

“Nossa... Que dor!” Pensou pressionando as mãos na cabeça que doía com o salto.

-Maldição... Onde estou? –dizia enquanto se acostumava com a claridade.

No mesmo instante, passos fora do quarto podiam ser ouvidos. Correram em direção ansiosos para ver o despertar da jovem. Pararam e abriram a porta lentamente fazendo-a ranger, abriram somente uma fresta, por onde espiaram com um dos olhos e umas cabeças acima e abaixo tentando ver também. Os olhos pela fresta logo localizou a cama, porem esta estava vazia, abriram mais a porta ate se depararem com um rosto de olhos esbugalhados olhando-os bem de pertinho.

-Ahhhhhh! –Gritou Evy ao quase bater a testa em quem a olhava. –Quem é você? –Perguntou levantando uma sobrancelha.

Levou quase uma hora para explicarem tudo o que havia acontecido a pequena. Desde sua “morte” ate o monstro, e seu herói e ate o homem de chapéus listrados. Eles sentavam-se no chão da sala em volta de uma mesa baixa cheia de xícaras. Havia sete pessoas na sala, fora Evy eram duas crianças, um homem moreno e alto, o jovem de cabelos prateados, uma mulher morena de olhos de gato e um homem estranho de chapéus listrados. Todos ouviam o silencio sendo interrompido pela voz do louro de chapéu verde e branco ate que este suspirou e tomou um gole de chá.

-Eu... Acho que entendi, mais ou menos... –Começou tímida. –Poderia dizer como foi que perdi a consciência?-Perguntou cabisbaixa enquanto o louro abria seu leque e colocava frente ao seu rosto.

-Senhorita Evy-San... Você tem um alto poder espiritual, como disse, você chegou num estado de transformação entre virar shinigami ou se tornar um hollow, o caso é que não deveria se tornar nenhuma destas opções e foi tudo muito rápido, mas parece que há algo dentro de você que lutava para ambos os lados... Deu muito trabalho acalmá-la, tive que levá-la ao meu subterrâneo para conte-la e mesmo assim você fez um grande estrago! Mesmo estando inconsciente foi muito prejuízo...

-É... Desculpe-me senhor... Eu prometo que vou recompensá-lo! Eu prometo! –Evy não fazia a menor idéia do que faria depois daquilo tudo, menos ainda de como recompensaria o homem.

-Continuando... Graças a um novo sistema que eu criei. Consegui controlá-la, e a exaustão foi tanta que você ficou de cama três dias e não se lembra do que fez, acho que é normal. Logo será enviada a seu devido lugar que é a Soul Society!

-Não, espera. Você disse que fiquei de cama três dias apenas?

-Sim, foi o que eu disse...

-E os outros dias? Você disse que faz duas semanas e meia que estou aqui!

-Sim, e eu também disse que foi difícil controlá-la, mas consegui! É isso que importa! Você é uma alma livre, não se preocupe! –Neste momento o homem se levantou e saiu da sala, e em seguida o jovem de cabelos prateados.

Num corredor escuro entre prateleiras Urahara parou olhando Hitsugaya. Estando sozinhos houve uma troca de palavras em segredo.

-Porque mentiu? –Perguntou o jovem de cabelos prateados.

- Há algo nessa menina que muito me intriga... –Respondeu o outro capcioso.

-Indiferente disto, porque omitiu a verdade a ela? –Seu tom era como sempre, serio.

-Você estava lá! Se eu demorasse um segundo a mais ela teria matado o Jinta!

-Não só ele... Todos nos...

-Não acho que vá durar muito tempo aquele selo, mas será o suficiente por enquanto. Acredite em mim meu amigo, ela irá crescer e logo estará com vocês na Goten! Ela tem potencial...

-Isso é perigoso Urahara-San! Não pode brincar desta forma!

-Não estou brincando! Vou apenas observar os fatos futuros... –Sorriu cético. –Quando o selo se romper, ela vai estar pronta para guerrear com si mesma, ela terá forças para isso, hoje ela não entenderia nada, só a deixaria mais confusa e amedrontada. Por hora, vamos apenas observar seu desenvolvimento...

Nada mais foi dito, ambos os homens ficaram olhando o vazio entre eles e as palavras ditas ali em segredo. Só o silencio lhes zumbiam no ouvido. Foi literalmente uma pausa dramática ate que Hitsugaya quebrou o gelo ao voltar para a sala.

Evy estava rindo com o restante sobre algo que ele desconhecia, mas naquele ambiente, ela parecia feliz e tranqüila, nunca poderia compará-la com a pessoa transtornada que havia enfrentado a uns dias atrás.

-Esta na hora de ir! –Disse veemente olhando-a.

-Mas já?

“Droga! Aqui parece ser tão bom...” Pensava se levantando enquanto Urahara também voltava à sala.

-Foi um prazer conhecê-los! Muito obrigado pela hospitalidade! –Agradeceu fazendo uma breve reverencia.

-Menina Evy... Seja forte! –Disse o homem de cabelos louros abrindo o leque.

-Sim! E prometo que voltarei aqui para recompensá-lo!

-Voltara sim, tenho certeza disso! –Disse convicto.

Neste momento Evy se virou olhando Hitsugaya, o jovem retirou sua katana segurando-a no alto da cabeça com as duas mãos. Evy se ajoelhou juntando as mãos no peito como quem faz uma oração. E enquanto o jovem tocava lentamente a base do cabo de sua arma, Evy sussurrou.

-Arigatou Shiro-chan! –Um circulo se abriu em volta da pequena, e seu corpo de transformou em partículas espirituais, levando-a ao mundo das almas. Aquela foi a ultima vez que vira o seu herói.

Ps: Este é o fim para a primeira parte, onde o cenário principal era o mundo real. Próximo episódio sera...... *Soul Society!* ... Aguardem!


Última edição por Evy Kakuichi em Dom 6 Nov - 14:57, editado 4 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo

 Tópicos similares

-
» A vida de um meio sangue.
» Vida de Programador!
» Vida Loka de Kayo Lend Parte 2
» Chat na Vida Real
» A vida de um semideus.
Compartilhar este artigo em: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking

*~~Diário de uma vida conturbada > Apresentando, Evy Kakuichi~~* :: Comentários

Muito legal, deu trabalho só pra ler tudo isso pq sou preguiçoso xD
Parabéns!
Tenho orgulho de ser seu irmão! Isso é um fato!

Posso até dizer que tenho um pouco inveja da forma em que escreve, também sua criatividade, linguagem culta, sempre chamando a atenção onde posta... Sempre no bom sentido. Claro.

Bom, inegavelmente ficou grande, isso por que ainda não acabou.

Só o que tenho pra falar é Parabéns, você mais do que ninguém merece o titulo de lendária na ficha de sua melhor personagem.

A lendária Evy Kakuichi!
Muito obrigado Krimer-Chan! xD

_____

oW meu maninho!! *-* Que mensagem mais linda, realmente nao esperava essas lindas trocas de palavras, fiquei comovida... Eu que agradeço, por você ser sempre assim tao gentil! Obrigado mesmo! Por estar sempre do meu lado me apoiando e me dando forças em tudo que eu faço! Te amo Pablo! (L) De coração mesmo! Muito! Mas Muuuito Obrigado mesmo!!! *-*
 

*~~Diário de uma vida conturbada > Apresentando, Evy Kakuichi~~*

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 

Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Versão 3.0 - Time Break :: Diário Shinigami-
Ir para: